arqui]vos de antropo[logia

um plano de trabalho

[fr 60]

HENRI DAMAYE: PSIQUIATRIA E CIVILIZAÇÃO

1) O autor coloca a biologia social em primeiro plano

2) Ele se fecha à compreensão em sua conexão com a política

3) Do ponto de vista socio-biológico, ele abre mão de toda e qualquer defesa contra a atual investida fascista

4) Sua posição é a do positivismo científico. Se, a partir deste fundamento, ele chega a hipóteses interessantes sobre a origem somática e a curabilidade somática das psicoses, por outro lado, aparentemente, a ele está fechado o acesso a todos os avanços da psicanálise

5) Sua posição filosófica é um otimismo liberal, por um lado a crença no progresso, por outro, na natureza, e sua adequação como norma infalível. Ele se refere explicitamente a Rousseau, cujos conhecimentos filosóficos do século XIX, teriam sido injustamente desprezados

nota do editor
No início de fevereiro de 1935 Benjamin escreveu a Helene Weigel: O livro pelo qual você pergunta, chama-se [parágrafo] Henri Damaye: Psychiatrie et Civilization [parágrafo] Paris 1934 (Alcan) [parágrafo] Porém ele lida não com a psicose de massas mas com as bactérias como agente patogênico da psicose individual. Em particular, o autor afirma que certas formas do bacilo de Koch não causam tuberculose, mas sim psicoses (Briefe, 645). Benjamin planejava uma resenha do livro, como mostra a folha de rosto do pacote no qual estão reunidas as notas-Damaye: Kritiken F[rankfurter] Z[eitung] Z[ei]tschr[ift] f[ür] Sozialw[issenschaft (correto: Sozialforschung)] (Ms 1296; para o pacote dos manuscritos e fragmentos de recensões, ver v. 3, 707 e vol. 7). É desconhecido o motivo pelo qual a crítica não se realizou.

Fonte: Ms 1297 – folha de cerca de 16,5 x 13,5 cm, […]
Período: entre aproximadamente o fim do verão de 1934 e início de 1935