arqui]vos de antropo[logia

[fr 53]

A PROSTITUTA

Na prostituta são expressos dois princípios opostos. O princípio do prazer anárquico e o princípio hierárquico do culto a Deus, agora ou chama este Deus no sentido próprio, ao modo dos hieródulos, ou o chama dinheiro. Ambos os princípios tem nesta forma um ir e vir, uma história de sua expressão. Entre eles, e a coquete moderna é contada no tipo hierático, está a prostituta, a quem particularmente corresponde uma expressão pura de ambos os princípios: libertinagem e obediência (por necessidade). Considerar que esta antinomia dos dois princípios históricos (em suma: o revolucionário e o teocrático) surge na mulher.

nota do editor
O apontamento pertence objetivamente aos fr 47, fr 51 e fr 52, mas é assentado mais tarde, na época da interpretação de Baudelaire (v. fr 109).

Fonte: Ms 802 – folha de cerca de 11 x 8 cm, [...]
Período: aproximadamente 1921

nota do tradutor
Interessante comparar o apontamento com os fragmentos [O 2, 3] e [S 7a, 4], , arquivos “Prostituição, Jogo” e “Pintura, Jugendstil, Novidade”, Trabalho das Passagens.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>