arqui]vos de antropo[logia

[fr 57]

<SOTERIOLOGIA E MEDICINA>

Soteriologia

Condições sociais provenientes da redenção
Cura completa

.
.

Medicina

Conservação ou melhoramento da vida de possibilidades vitais <.> A que isso pertenceria é uma questão somente quando teórica, prática, mas manifesta, indiferente

O procedimento da medicina é a cura (precisão) seu êxito, auxílio

.

.

.

Espírito

Complexo de sintomas
Não o lugar da cura humana mas apenas da soteriológica, por que o espírito é a área da imediaticidade

Corpo material

Manejo terapêutico
Cirúrgico
Bioquímico
Biofísico
Caráter indireto

A teoria da saúde e da doença leva ao fato de que espírito e corpo material não são distinguidos na definição de doença, mas apenas no significado para a compreensão da doença

 Nem todo enfermo precisa, muito menos possibilita, a cura.
A dor como sintoma-aviso espiritual

nota do editor
O esquema de ambos os modos de cura está, na temática e provavelmente também temporalmente, em relação direta com o fr 56 (v. particularmente VI Prazer e Dor). Desde cedo Benjamin havia ensaiado sobre o tema; assim relata em uma carta de março de 1916: Desde o trabalho de Hölderlin e o “Arco-Íris” [v. vol. VII] eu provavelmente tenho iniciado vários trabalhos, mas nenhum nem mesmo a metade concluída. Isto está relacionado ao tamanho dos objetos de que tenho me ocupado: a natureza orgânica, a medicina e a moral (Briefe, 124). O fr 57 está no verso de um pedaço de um convite mimeografado (para uma apresentação de teatro de marionetes da artista berlinense Elisabeth Richter, ver abaixo), em que foi preservada a data da apresentação, “quarta-feira, 22 de março”; os dias da semana e do mês coincidem com o ano de 1922. O apontamento não pode, portanto, ter sido escrita antes da impressão do convite, a partir de aproximadamente meados de março de 1922. À folha foi anexada outra [Ms 666] onde  está a nota temática provavelmente não-realizada: Sobre os preconceitos convencionais na beleza corpórea.

Fonte: Ms 665 – folha de cerca de 14 x 11,5 cm; verso do fragmento de um convite mimeografado, datado “22/03/[1923]”.
Período: de aproximadamente meados de março de 1922

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *